Portal Alcanede - Ao serviço da Comunidade

Rancho das Viegas pondera reativar Museu Etnográfico

Escrito por 
Classifique este artigo
(5 votos)

O Rancho Folclórico das Viegas tem vindo a afirmar-se nos últimos anos no movimento Folclórico Nacional. Em entrevista à presidente do rancho, Sílvia Vieira, a propósito da passagem dos 24 anos de existência do grupo e de mais uma edição do Festival Nacional de Folclore, realizado durante a festa das Viegas. O Portal de Alcanede, foi conhecer os anseios e preocupações do único grupo folclórico da freguesia de Alcanede, que sobrevive de um subsídio anual da junta de freguesia e de receitas provenientes de angariação de fundos. A eventual reativação do Museu Etnográfico do Rancho Folclórico das Viegas é outro dos assuntos abordados nesta entrevista.



Portal Alcanede (PA) - Qual é o balanço que faz do XXV Festival Nacional de Folclore?
 

Sílvia Vieira - Sentimos que todo o trabalho valeu a pena. O público aderiu em massa mais um ano, desde os mais jovens aos mais maduros. É um encontro de gerações e tradições que nos orgulhamos muito de trazer para a freguesia de Alcanede.

PA - Na sua opinião houve algum momento alto que queira destacar?

folclore viegas 2014Sílvia Vieira - Os festejos duraram 4 dias (14 a 17), e mais uma vez a noite do Festival foi a que teve mais visitantes. Claro que para nós, a nossa atuação é sempre o momento de maior destaque. Apresentarmo-nos na nossa terra à população que tanto nos acarinha e apoia é muito importante e torna a atuação mais especial. Fico sempre muito emocionada.

PA - O componente público é importante em qualquer espetáculo, como é que as pessoas reagem às atuações?

Sílvia Vieira - Felizmente reagem muito bem. Maioritariamente o público que assiste ao festival são pessoas apreciadoras do folclore e isso faz-se transparecer no palco, de forma positiva. Qualquer dos cinco grupos que pisaram o nosso tabuado foi brindado com imensas palmas.

PA - Como é que se dá a possibilidade de juntar todos estes grupos, é ao abrigo de permutas de atuações?

Sílvia Vieira - Sim, são permutas.

PA - Presumo que há um trabalho de logística que é necessário fazer para receber toda esta gente, como é que fazem isso?

folclore viegas 2014 01Sílvia Vieira - Sim é um trabalho que começa cerca de um ano antes, com a celebração dos contratos permuta. Depois há toda a troca de correspondência (facilitada pelo email), envio de programas, receção de historiais para nada falhar. No dia, são nomeados guias para receberem os grupos e servimos o jantar a todos os elementos, o que significa cerca de 200 pessoas. Felizmente há pessoas que nos ajudam o que permite que por volta das 21.30h estejamos trajados e a iniciar o desfile.

PA - Qual é a importância da existência de um grupo de folclore num lugar como Viegas e para a freguesia de Alcanede?

Sílvia Vieira - Somo uma Associação sem fins lucrativos que existe com o intuito de fomentar a cultura e a tradição. Para além disso, e não menos importante, tentamos proporcionar aos jovens e ao público em geral uma forma saudável de ocupar os tempos livres. Somos parte integrante da “vida” do concelho e principalmente da freguesia de Alcanede, apoiando sempre que possível os movimentos aqui realizados, sociais ou de outra natureza. Neste momento somos um dos principais movimentos associativos no lugar de Viegas, onde realizamos diversos eventos anuais, que mantêm vivas algumas tradições, como a festa do 15 de agosto ou o arraial popular que ao mesmo tempo servem para angariação de fundos.

PA - Como é que o grupo tem vindo a afirmar-se no movimento Folclórico Nacional?

Sílvia Vieira - Nos nossos 24 anos de existência, percorremos o país de lés a lés. Não deverá haver região à qual não tenhamos ido mostrar os usos e costumes da nossa terra no século XIX. Inclusivamente, já representámos o Ribatejo diversas vezes além-fronteiras.

PA - São necessários muitos requisitos?

Sílvia Vieira - Sim são necessários bastantes requisitos, principalmente para um grupo que seja federado como é o nosso caso. Tudo tem que ser fiel à época e à região, desde os trajes, domingueiros ou de trabalho, utensílios, instrumentos musicais, músicas, forma de dançar, e outros pormenores, nunca podendo esquecer que na época não havia verniz, determinados adornos, telemóveis, ou seja, o público ao olhar para nós tem que ver uma pessoa da época representada, no nosso caso finais do século XIX.

PA - Quais são os principais trajos dessa época, finais do século XIX?

folclore viegas 2014 02Sílvia Vieira - Temos trajos de trabalho de domingueiro, de domingueiro rico, de ir à feira, de noivos e de crianças.

PA - Como é que este grupo subsiste economicamente?

Sílvia Vieira - Neste momento, o único apoio económico que temos, de entidades oficiais, é o protocolo celebrado com a Junta de Freguesia que nos garante um subsídio anual. Algo que acontecia também com a Câmara Municipal, mas que devido à contenção de custos foi suspenso. Como podem imaginar não é suficiente para os nossos encargos, sendo que a maior parte das nossas receitas provém de eventos de angariação de fundos.

PA - No caso concreto do rancho das Viegas, passados 24 anos de atividade, ainda é possível fazer recolha etnográfica? Que trabalho tem sido feito nesse sentido?

Sílvia Vieira - A última recolha etnográfica foi realizada há cerca de 10 anos junto do "Ti Manel Azenha", é complicado manter a recolha, uma vez que quem se recordava das músicas e danças, já as passou. O que tentamos fazer é manter os trajos e utensílios o mais fidedignos possível.

PA - A possibilidade da criação de um museu etnográfico, passa pelas vossas pretensões?

Sílvia Vieira - Sim, há anos houve um, e não excluímos a hipótese de o reativar noutras instalações.

PA - Isso significa que o rancho já tem algum espólio de ferramentas antigas, trajos, instrumentos musicais e materiais ligados à agricultura?

Sílvia Vieira - Sim tem, embora grande parte necessite de restauro.

PA - Há pouco tempo por altura do vosso 24 aniversário, disse ao Portal de Alcanede que era importante a entrada de novos elementos femininos e sobretudo masculinos, aconteceu alguma coisa daí para cá?

folclore viegas 2014 03Sílvia Vieira - Contamos com dois elementos novos ambos do sexo masculino, tendo vários outros a aprender.

PA - Como é que se cativam sobretudo os jovens, para que as tradições se mantenham?

Sílvia Vieira - Por vezes não é fácil, mas o convívio, o ambiente familiar que se ganha, e o conhecimento de diferentes regiões acaba por atrai-los.

PA - Que tipos de risco podem colocar em causa a sobrevivência de um grupo como o Rancho das Viegas?

Sílvia Vieira - A falta de verbas e elementos.
 

Lido 3600 vezes Modificado em segunda, 01 setembro 2014 11:43