Portal Alcanede - Ao serviço da Comunidade

domingo, 29 maio 2016 15:27

Movimento Mochila às Costas parte para a estrada em mais uma onda de solidariedade

Escrito por 
Classifique este artigo
(8 votos)

O Movimento Mochila às Costas vai para a estrada no próximo dia 4 de junho e espera trazer na bagagem um pouco da solidariedade das populações de Alcanede e Gançaria. A iniciativa que se tem revelado um sucesso angariou na última edição mais de 2 toneladas de alimentos, 27 kg de brinquedos, 216 kg de roupas, 180 kg de produtos de higiene, e 300 €. O Portal de Alcanede entrevistou Daniela Graça que nos falou do pulsar do evento para este ano que deverá contar com 200 participantes voluntários.



Como é que o Movimento Mochila às Costas está a sentir este ano o pulsar do evento a poucos dias de se fazerem à estrada?

mochila 02Daniela Graça -Dia 4 de Junho pedalamos em mais uma edição do Movimento Mochila às Costas, a equipa está confiante que será uma edição de sucesso que só fará sentido se todos fizermos parte dela. Ao longo dos meses foram existindo diversas reuniões com as instituições parceiras: Junta de freguesia de Alcanede, Junta de freguesia da Gançaria, Santa Casa da Misericórdia de Alcanede, Centro Social Serra do Alecrim, ADAR e Escuteiros da Gançaria a fim de preparar a logística (alimentar, de viaturas, espaços, disponibilidades) e ainda foi feita uma reunião com todos os responsáveis pelas Associações e Grupos da Freguesia de Alcanede e Gançaria com a finalidade de conseguir levar o MMAC cada vez mais perto da população. Nas últimas semanas visitamos as empresas da nossa região e algumas das cidades mais próximas a fim de angariar dinheiro para as despesas inerentes ao movimento: as mochilas que oferecemos aos participantes, a alimentação dos mesmos e o seguro de responsabilidade civil.

A divulgação é uma das nossas grandes preocupações, tanto para a angariação de participantes como para os mesmos conseguirem ser recebidos pelos habitantes de Alcanede e Gançaria. Com a crescente criminalidade no nosso concelho as pessoas têm cada vez mais medo de abrir a porta a quem não conhecem. Para além dos nossos flyers, do facebook e dos órgãos de comunicação social pedimos a colaboração do Sr. Padre Vicente para falar um pouco do MMAC nas Eucaristias para que as pessoas mais idosas nos conheçam e saibam que dia 4 nos podem abrir a porta e assim fazer parte desta "corrida" pela solidariedade.

Neste momento já elaboramos os grupos por aldeias ou seja, as aldeias que cada equipa vai percorrer. Estamos a tratar da estampagem das mochilas que vamos oferecer aos participantes, estamos a começar a organizar os participantes por equipas e estamos a tratar do seguro de responsabilidade civil.

Tentámos este ano envolver na preparação do nosso movimento: os idosos do Centro Social Serra do Alecrim que elaboraram umas ofertas para os nossos patrocinadores, as crianças do Centro Social Serra do Alecrim que se encontram a elaborar a identificação para as viaturas de apoio e as crianças do Colégio Jardinita que se encontram a elaborar os dorsais para identificação das bicicletas dos participantes. Somos assim um movimento de todos e para todos.

mmac2As pessoas estão a responder muito bem a esta edição, o MMAC já não é apenas um evento distrital mas sim nacional visto estarem inscritas pessoas de Sintra, Lisboa, Oeiras, Lousã, Coimbra, entre outras. Depois de no último ano termos contado com 150 participantes este ano a equipa subiu a fasquia e espera contar com cerca de 200.

Face ao último ano em que se realizou o movimento surge este ano com algumas alterações. O ponto de encontro e o secretariado será na ARCA, sendo a partida depois no "Largo da Fialha" junto à praça. Esta alteração tem como objetivo aumentar o impacto visual do movimento no centro de Alcanede. Surgiu ainda a recolha a pé para pessoas que apresentem algumas dificuldades em andar de bicicleta e queiram participar neste evento, a recolha de alimentos em Alcanede será assim feita por um grupo de pessoas a pé. Todos os participantes vão ter direito a uma mochila, seguro de acidentes pessoas e alimentação.


Há um histórico desta iniciativa que deixa antever uma boa participação também em termos da solidariedade da população de Alcanede e Gançaria?

Daniela Graça - Sim. A população de Alcanede e da Gançaria são muito solidárias e prova disso são os números da última edição. Até as pessoas com mais dificuldades dão um pouco do que tem e isto é o verdadeiro significado de solidariedade.

Há também uma componente desportiva e de camaradagem?

Daniela Graça - O MMAC alia a solidariedade à prática desportiva e esse sempre foi um dos nossos objetivos daí a recolha ser feita de bicicleta. As equipas formam ao longo do dia um espírito de entreajuda e camaradagem e sinto que acabam o dia de "coração cheio".

A última edição resultou numa recolha muito apreciável de alimentos, brinquedos e roupas, este ano a ideia é ir mais além? 

Daniela Graça - Na última edição foram recolhidas mais de 2 toneladas de alimentos, 27 kg de brinquedos, 216 kg de roupas, 180 kg de produtos de higiene, e 300 €. O movimento não pretende receber dinheiro mas as pessoas ao longo da última recolha foram insistindo e os participantes acabaram por aceitar. Este dinheiro foi utilizado para comprar o que estava em escassez para formar os cabazes e essencialmente foi para a compra de produtos de higiene.

Quantos grupos e em que moldes vão ser distribuídos no trabalho de recolha?

mmacDaniela Graça - A freguesia de Alcanede é dividida em vários segmentos, sendo cada segmento feito por uma equipa. Todas as equipas possuem um líder, pessoa responsável pelos membros da sua equipa. Este líder é escolhido com base no nível de conhecimento que possui do segmento da freguesia que vai percorrer para que se consiga chegar a todo o lado num curto espaço de tempo. As nossas equipas ideias seriam constituídas por 20 participantes existe um enquadramento em cada equipa de pessoas das aldeias pelas quais essa equipa vai passar, ou seja, fazemos questão que estejam caras da terra. A recolha na freguesia da Gançaria é feita pelos Escuteiros.

Quais vão ser as instituições contempladas com estas dádivas?

Daniela Graça - Todos os produtos que resultam da recolha (alimentos, brinquedos, roupas, produtos de higiene e dinheiro) ficam sobre a responsabilidade da Santa Casa da Misericórdia de Alcanede e do Centro Social Serra do Alecrim que em articulação fazem a atribuição dos cabazes às famílias mais carenciadas da freguesia. Surge sempre a questão de "vão entregar os cabazes a quem não precisa", cada um pode fazer a diferença nisso. É distribuído no secretariado um impresso anónimo em que cada participante pode sinalizar famílias que considere que precisam de ajuda. As instituições acima referidas procedem depois à análise e verificação desses agregados. Temos casos na última edição que foram referenciados deste modo, famílias que não recebiam qualquer tipo de apoio, e passaram a ser ajudados regularmente por estas instituições a partir daí.


Lido 2349 vezes Modificado em domingo, 29 maio 2016 16:55