Portal Alcanede - Ao serviço da Comunidade

Margarida Fonseca: "Não imagino a minha vida sem o ballet"

Escrito por 
Classifique este artigo
(0 votos)

mfonsecaIniciou as andanças pela dança aos 3 anos, e desde então o Ballet faz parte da sua vida. Incentivada por vontade própria e de amigos e familiares, lecciona as artes da dança às crianças de Alcanede.Grata pela oportunidade, a professora Margarida Fonseca fala com emoção das suas “crianças”, e agradece aos pais e direcção da A.R.C.A, todo o empenhamento, que culminou com o espectáculo de encerramento, “ Há festa no palácio”, realizado no passado dia 26 de Junho.

margaridaprof4actualPortal Alcanede (PA) – Há quantos surgiu este seu gosto pela dança, em especial pelo ballet?

Margarida Fonseca (MF) – Iniciei o Ballet quando tinha apenas 3 anos. Nessa altura e até aos meus 14/15 anos era simplesmente uma actividade extra curricular tanto para mim como para os meus pais. Depois o gosto pela dança começou a ser diferente, porque comecei a ter noção das minhas capacidades e quando subia ao palco sentia algo que não é explicável, vontade de dar tudo e não simplesmente fazer combinações de passos…foi nessa altura que vi que a dança era mais do que um hobbie, era algo que queria fazer para o resto da vida. As minhas professoras foram uma grande influência e até me queriam colocar no Conservatório Nacional de Bailado mas era muito jovem e os meus pais não autorizaram. Contudo continuei, hoje tenho 22 anos e não me vejo sem a dança.

PA – O ballet é uma paixão?

MF – Sem dúvida alguma que sim. Não imagino a minha vida sem o ballet. Sei que ainda tenho muita coisa para aprender e por isso tenciono aprofundar a minha formação em Ballet e Contemporâneo.

PA – Quais são os principais benefícios da prática do ballet?

MF – O Ballet, actualmente, está associado a um estilo de vida saudável. Para além de contribuir para a saúde e bem-estar, também melhora muito a postura, a capacidade criativa e motora dos alunos, permite uma ligação entre música, ritmo e movimento. Contribui para o conhecimento do corpo, ajuda no crescimento dos alunos, pois estes estão em contacto com pessoas diferentes e isso permite uma inter ajuda e um espírito de grupo o que é muito bom. Também incentiva o gosto pelas Artes.

PA – Além das partes criativa e individual, há alguns exercícios específicos que implemente nas suas aulas?

MF – Sim. Todas as minhas aulas começam com um aquecimento sempre de forma criativa. Utilizo, muitas vezes, instrumentos musicais em que as alunas têm de dançar o ritmo que estou a tocar, e o fim da aula acaba sempre com um relaxamento. Isto permite que as alunas adquiram hábitos de aquecimento e relaxamento, puxa pela imaginação individual e ainda permite que elas diferenciem os movimentos consoante o momento da aula em que estamos (os movimentos do aquecimento são diferentes do relaxamento).

PA – Como é que surgiu a oportunidade de começar a dar aulas em Alcanede?

MF – Tudo começou numa conversa banal em minha casa, o meu irmão foi o grande impulsionador…gostei da ideia e pensei – porque não? vamos experimentar. Falei com a Cristina e o meu namorado (que é de Alcanede). Eles gostaram imenso da ideia, apoiaram-me de imediato e sugeriram que falasse com o Fernando. Conseguimos arranjar uma sala, fizemos as alterações que deviam ser feitas e abrimos as inscrições. Aqui em Alcanede todos me apoiaram desde o início e fico muito grata por isso.

PA – Sentiu o entusiasmo também da parte dos pais?

MF – Senti que inicialmente os pais ainda não sabiam muito bem o que era o Ballet e por isso o entusiasmo foi aumentando ao longo do ano. Até à altura do espectáculo em que foram todos espectaculares!

PA – Nesta altura, quantas crianças são orientadas pela professora Margarida?

MF – Neste primeiro ano tenho 13 meninas. Mas espero que no próximo ano venham mais!

margaridaprof2PA – De que idades?

MF – Durante este ano tive alunas de 3 e 4 anos e depois uma outra turma dos 6 aos 10 anos.

PA – Qual é a idade ideal para começar a dançar?

MF – Quanto mais cedo melhor. Contudo nunca é tarde para entrar, o único ponto negativo é que já existe vícios, como por exemplo o andar incorrecto, a má postura, o que torna mais difícil de eliminá-los. Desde já digo que gostava de ter uma turma sénior aqui em Alcanede, seria um trabalho bastante engraçado.

PA – Em Alcanede, são só as meninas a praticarem ballet?

MF – Sim, actualmente só tenho meninas.

PA – Há ainda algum preconceito no que respeita aos meninos que dançam ballet?

MF – Há muito preconceito…infelizmente! Tenho muita pena que as pessoas pensem que um menino, por andar no Ballet ou numa outra dança, seja de alguma forma diminuído na sua masculinidade…não tem nada a ver, garanto!

PA – Imagino que na altura de preparar uma determinada coreografia, a falta de elementos do sexo masculino seja sentida por si?

MF – Com meninos no ballet dava para fazer coisas bastante diferentes, as meninas podiam “voar” e mesmo em termos visuais o público não estava sempre a ver meninas…assim têm de ficar sempre em “terra” J

PA – Nas cidades, regra geral, frequentar aulas de ballet sai caro às carteiras dos pais. Em Alcanede, ao que sabemos a mensalidade é acessível?

MF – Eu tive esse aspecto em atenção. Primeiro porque as meninas só têm aulas uma vez por semana e depois porque a conjuntura que vivemos actualmente não permite grandes gastos. Mesmo assim agradeço aos pais por darem a oportunidade das filhas dançarem e de estarem ligadas ao mundo das artes.

PA – Custa apenas um pouco mais inicialmente com a aquisição do equipamento adequado, é isso?

MF – Exactamente. Contudo quando se atinge um nível elevado os custos aumentam um pouco no início do ano lectivo porque é necessário equipamento mais específico, como as pontas de Ballet.

PA – Está a trabalhar com as suas alunas desde Outubro 2009 (se não estou em erro), ainda é cedo para grandes balanços, no entanto que avaliação faz destes meses de trabalho?

MF – Estes meses foram muito positivos. Tive sorte com as meninas, com os pais, com as pessoas da ARCA que me ajudaram…valeu o esforço das viagens, do trabalho, as noites mal dormidas a pensar nas aulas e no espectáculo…estou contente por estar a dar aulas em Alcanede!

PA – Temos talentos ainda “escondidos” em Alcanede?

MF – Acredite que sim! Tenho meninas muito boas e que se continuarem vão ser grandes Bailarinas…não tenho a menor dúvida!

margaridaprof3PA – No passado dia 26 de Junho, teve lugar na A.R.C.A a festa de encerramento do ballet, «Há Festa no Palácio!» foi o nome escolhido para o espectáculo. O cenário e a coreografia foram da autoria da professora Margarida?

MF – A coreografia foi totalmente da minha autoria. Para o cenário tive a colaboração do teatro de Minde a quem agradeço muito.

PA – Quem quiser inscrever-se para a próxima temporada, o que tem de fazer?

MF – Para as meninas que andaram este ano, basta ligar pois já têm o meu contacto. Para quem quer inscrever-se pela primeira vez poderá deixar os seus contactos na Junta de Freguesia. Estarei na festa de Alcanede em Agosto e também nas tasquinhas em Setembro com fichas de inscrição.

PA – Gostava de deixar alguma mensagem para as suas alunas, pais e familiares?

MF – Quero só deixar um convite a todas as meninas e meninos, de qualquer idade, para que se inscrevam no próximo ano lectivo. E quero agradecer a todos os pais pela disposição que tiveram nas últimas semanas de aulas e pelo empenho de todas as alunas, foram fantásticas! Quero também agradecer em especial ao Luís Martins, pois foi ele que teve mais contacto com o ballet e trabalhou imenso ao longo deste ano.

PA – Muito obrigado pelas suas declarações ao Portal de Alcanede e continuação de bom trabalho em prol dos nossos jovens e desta completa disciplina que é o ballet…
MF – Eu é que agradeço Paulo. Estou sempre disponível!


NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 903 vezes

Lido 2927 vezes Modificado em segunda, 16 abril 2012 17:45