Portal Alcanede - Ao serviço da Comunidade

Carlos Silva: "Um passeio de Vespa serve como uma boa terapia"

Escrito por 
Classifique este artigo
(1 Vote)

carlossilvaA freguesia de Alcanede tem oficialmente uma nova associação. Os primeiros passos foram dados em 2005, mas só dois anos depois os seus fundadores acreditaram ser possível criar uma associação de raiz, algo que ainda demorou mais quatro anos. Atualmente com cinquenta sócios, a Associação “Vespinhas do Castelo de Alcanede” é uma realidade e terá em breve a sua sede localizada num espaço cedido pela Associação Recreativa e Cultural de Alcanede.

O Portal de Alcanede foi ao encontro de Carlos Silva, responsável pela Comissão Administrativa das “Vespinhas do Castelo” e revela-lhe alguns pormenores.

Vespinhas 2Portal Alcanede – Como e quando surgiu a ideia de criar a Associação “Vespinhas do Castelo”?

Carlos Silva – Começou em 2005. Eu sempre tive Vespa, o meu vizinho Sérgio Félix também e dada a movimentação à volta do vespismo em Portugal, pensámos que seria interessante convidar alguns amigos para dar umas voltinhas. No fundo já andávamos, mas um para cada lado e a ideia foi criar um grupo mais organizado, no entanto estávamos longe de chegar tão rápido à constituição dos “Vespinhas do Castelo”. Desafiámos o Toninho da Abrã e o China dos Mosteiros e fomos os quatro a dar as primeiras voltas, mas depressa se juntaram o Manuel Carvalho, o Rogério de Alqueidão do Mato, o Maximino e quando nos apercebemos já tínhamos dez ou doze elementos a fazerem parte do nosso grupo.

Portal Alcanede – E como é que chegaram ao nome “Vespinhas do Castelo de Alcanede”?

Carlos Silva – Tivemos de pensar um bocadinho. Temos o nosso Castelo, somos umas vespinhas (poucos elementos) e porque não, “Vespinhas do Castelo” ou “Vespinhas de Alcanede”? Entretanto, fomos conversando e chegou-se à conclusão de que ficaria “Vespinhas do Castelo de Alcanede”.

Vespinhas 1Portal Alcanede – A génese da associação começou a ser desenhada em 2005. Quanto tempo passou até que o grupo tivesse um número mais consistente de elementos?

Carlos Silva – Em Julho de 2007. Podemos considerar esse mês e o dia 12 como sendo o oficial, já que foi nessa altura que nos fizemos representar (enquanto grupo) num passeio na Benedita e onde levámos nove elementos. Já fomos identificados com um logótipo, no fundo, participámos de uma forma mais organizada, embora não filiados. Assim nos mantivemos até este ano, mas porque o número de entusiastas aumentou, sentimos a necessidade de nos organizarmos melhor internamente, além da necessidade de termos também representação (Vespa Clube de Portugal - VCP), que funciona como entidade reguladora desta modalidade. Para sermos filiados do VCP tínhamos de ser identificados como associação e foi o que fizemos este ano. Formámos a nossa associação, criámos os nossos estatutos e já estamos inscritos no Vespa Clube de Portugal.

Portal Alcanede – Foi o passo que faltava?

Carlos Silva – Sem dúvida, e foi assim que nos apresentámos na edição deste ano da Expo Alcanede. Enquanto grupo apenas não era possível, mas como já temos o estatuto de associação foi com muito agrado que estivemos no certame de 2011.

Portal Alcanede – Ultimamente a vossa sede ficou sediada fora da freguesia de Alcanede, mais concretamente no Cortiçal. A que se deveu o facto?

Carlos Silva – Muito simples. Durante bastante tempo os encontros, os livros de atas, os troféus, enfim tudo o que dizia respeito ao grupo era concentrado na minha casa, mas como temos pessoas residentes nos limítrofes da nossa freguesia e que se associaram a nós, casos de Abrã, Cortiçal, Amiais de Cima, etc, achámos por bem mudar a nossa sede física. Durante algum tempo tivemos uma espécie de “sede itinerante”, hoje era na casa de um, noutro mês em casa de outro, até que um colega nosso nos disponibilizou, no Cortiçal uma casa bastante espaçosa onde passámos a fazer as nossas reuniões, também com apoio da Associação Recreativa local.
A escolha do Cortiçal deveu-se a esta disponibilidade e ao facto de ser uma zona central, naturalmente sem qualquer desprimor por Alcanede, aliás a nossa intenção sempre foi, assim que possível, mudar para Alcanede e com o acordo de todos. Aproveito a oportunidade que o Portal de Alcanede nos dá para agradecer a atitude do nosso sócio e amigo Fernando Reis e da sua família, a sua esposa (Nelinha), que foram espetaculares desde sempre, é um agradecimento que não pode passar ao lado desta associação.

Vespinhas 3Portal Alcanede – Entretanto, chegou agora a concretização dessa ideia de instalar a sede dos “Vespinhas do Castelo” em Alcanede, na A.R.C.A, que mostrou abertura e disponibilidade. Como é que decorreu este processo?

Carlos Silva – Começou com a nossa participação na Expo Alcanede 2011, e desde já agradeço à Junta de Freguesia de Alcanede, na pessoa do seu presidente, o convite que nos endereçou para estarmos presentes, enquanto associação já criada, porque foi uma excelente oportunidade para nos apresentarmos às pessoas. E foi exatamente durante o certame que a direção da A.R.C.A, na pessoa do senhor Luís Martins, nos convidou a ocupar um espaço, à nossa escolha, no local anteriormente destinado aos Bombeiros Voluntários de Alcanede, pelo facto de esta ser uma associação da nossa terra e pela credibilidade que ela manifesta.

Portal Alcanede – Uma excelente prenda de Natal antecipada?

Carlos Silva – Caiu do céu! Falámos com os elementos do nosso grupo e todos ficaram satisfeitos. Posso adiantar que antes do final do ano vamos estrear o nosso espaço, as obras estão a decorrer, já temos a parte elétrica definida, a seguir vem o pintor, e já não falta muito. Volto a agradecer a toda a direção da Associação Recreativa e Cultural de Alcanede a “luz verde” que deram às “Vespinhas do Castelo”.

Portal Alcanede – Neste momento a associação conta com quantos sócios?

Carlos Silva – Cinquenta sócios! Um número extraordinário, sendo que vinte foram conseguidos durante a Expo Alcanede. Aproveito para lembrar que a nossa associação não tem qualquer finalidade lucrativa, mas sempre o objetivo de dinamizar e divulgar o bom nome de Alcanede, as suas gentes e toda a nossa região.

Portal Alcanede – Noto no rosto do Carlos Silva uma enorme satisfação…

Carlos Silva – Estou radiante.

Portal Alcanede – Essa paixão pelas Vespas é facilmente explicável?

Carlos Silva – Andar de Vespa é mesmo uma paixão. Aliás, um passeio de Vespa serve como uma boa terapia, ajuda a aliviar o stress, é um veículo silencioso, diferente, muito confortável e muito apreciado, mesmo por quem não tem nenhuma ou nunca andou!

Portal Alcanede – Neste momento, ainda é cedo para a Associação “Vespinhas do Castelo” pensar num passeio, organizado por vós, que seja no futuro uma referência e que traga muitos amantes do vespismo a Alcanede?

Carlos Silva – Sim, esse é um objetivo muito grande. Enquanto não fomos associação, os passeios foram realizados aqui pela nossa zona, sem grandes despesas e para mostrar a nossa região. Mesmo assim, já tivemos oportunidade de proporcionar um dia muito agradável a alguns amigos do Cartaxo, Comeiras, Benedita, Alpiarça, Torres Novas, etc, embora tenha sido um passeio fora do calendário oficial. Agora que existe a filiação no Vespa Clube de Portugal já dá para pensar em algo de maior dimensão. Queremos organizar um evento que sirva para ajudar alguma instituição da nossa freguesia, em princípio só em 2013, já há um compromisso para o próximo ano, mas essa é a nossa vontade. Não tendo fins lucrativos, queremos repartir eventuais lucros com as nossas associações mais carenciadas, esse será sempre o nosso apanágio.

Vespinhas 4Portal Alcanede – As “Vespinhas do Castelo” já ajudaram na organização de um evento importante em Rio Maior?

Carlos Silva – É verdade. O presidente da Junta de Freguesia de Rio Maior também é um apaixonado pela organização de eventos, nomeadamente carros e motas clássicas e porque adora Vespas e sabia da experiência que temos acumulado nos últimos anos, convidou-nos para apadrinhar a organização do 1º Passeio de Vespas naquela cidade. Depois de uma reunião conjunta, ninguém foi contra e decidimos apoiar e organizar o evento que aconteceu no passado dia 25 de Setembro de 2011. Estávamos à espera de 80 a 90 participantes e acabaram por aparecer 186 inscrições. Foi fantástico, até porque o passeio tinha também o objetivo de ajudar os Bombeiros de Rio Maior, e já fomos convidados para organizar o passeio do próximo ano. Foi decidido em Assembleia-Geral do Vespa Clube de Portugal que serão as “Vespinhas do Castelo de Alcanede” a organizarem o 2º Passeio do concelho vizinho em conjunto com a Junta de Rio Maior.

Portal Alcanede – O que é preciso fazer para ser sócio da Associação “Vespinhas do Castelo”?

Carlos Silva – Não é obrigatório ter Vespa nem andar de Vespa. Basta chegar junto de um dos nossos elementos, manifestar a vontade e ser-lhe-á entregue uma proposta, que depois de preenchida, será apreciada pela comissão administrativa. A quota mínima é de um euro mensal.

Portal Alcanede – Como é que está organizada, neste momento, a estrutura da associação?

Carlos Silva – Neste momento funciona como comissão administrativa com cinco elementos. Até final deste ano ou início de 2012 teremos de formar os órgãos sociais, com Direção, Conselho Fiscal e Assembleia-Geral num total de onze elementos.

Portal Alcanede – Obrigado pelas declarações ao Portal de Alcanede e felicidades para a Associação “Vespinhas do Castelo de Alcanede”…

Carlos Silva – Nós é que agradecemos a divulgação que fazem à nossa associação. Bem-haja.

NOTA: No antigo site do Portal esta página foi lida 434 vezes

Lido 2697 vezes Modificado em segunda, 16 abril 2012 17:36